O AT e sua vizinhança com a Arte

Austerlitz é um livro escrito por W.G. Sebald onde o protagonista é um professor de história da arquitetura que percorre ruínas/construções de uma Europa no pós-guerra.
A forma como Sebald escreve, rompendo as fronteiras dos gêneros literários e conectando memórias, História, literatura de viagens,tudo isso narrado por alguém que se encontra com Austerlitz em vários cenários das diversas cidades que percorre, nos inspira para o trabalho com o AT.
O AT também rompe as fronteiras do espaço terapêutico quando ganha a rua e faz da cidade elemento de suas inter(in)venções.
Numa cena, Austerlitz está num espaço que seria uma estação em Londres e a ambiguidade da obra ( seria uma ruína ou uma construção?) , assim como o desassossego que o leva até ali, o afeta de tal forma que possibilita a ele acesso a uma memória supostamente esquecida e que será a abertura para reconstruir sua identidade.
O AT e seu acompanhado, nas andanças pela cidade afeta e está sendo afetado por um oceano de imagens, memórias, emoções, cheiros, sons que compõem uma experiência única e singular de circulação.

Ana Paula Scagliarini

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *